segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

A IMPORTANCIA DA ÁGUA PARA A SAÚDE - 1ª EDIÇÃO

NOTA DO EDITOR:  Valter Weber Leone é um entusiasta da saúde humana!. Vez por outra ele pesquisa assunto de real importância e envia para os amigos. O tema é de utilidade pública - todos devem tomar conhecimento dos benefícios da água para o corpo humano. Envio-lhes  a mensagem do leitor Valter Leone, na certeza ques lhes será bastante útil. Blog do Painho.

video
CATARATAS DO IGUAÇÚ


Água com estômago vazio!!! Leiam, super interessante:

Quanto mais se sabe, maiores hipóteses de sobrevivência...

Um cardiologista diz que se todos que receberem esta mensagem, a enviarem a pelo menos uma das pessoas que conhecem, pode ter a certeza de que, pelo menos, poderá salvar uma vida.

Beba água com estômago vazio.

Hoje é muito popular, no Japão, beber água imediatamente ao acordar. Além disso, a evidência científica tem demonstrado estes valores. Abaixo divulgamos uma descrição da utilização da água para os nossos leitores

Para doenças antigas e modernas, este tratamento com água tem sido muito bem sucedido....

Para a sociedade médica japonesa, uma cura de até 100% para as seguintes doenças:

Dores de cabeça, dores no corpo, problemas cardíacos, artrite, taquicardia, epilepsia, excesso de gordura, bronquite, asma, tuberculose, meningite, problemas do aparelho urinário e doenças renais, vômitos, gastrite, diarreia, diabetes, hemorroidas, todas as doenças oculares, obstipação, útero, câncer e distúrbios menstruais, doenças de ouvido, nariz e garganta.

Método de tratamento:

1. De manhã e antes de escovar os dentes, beber 2 copos de água.

2. Escovar os dentes, mas não comer ou beber nada durante 15 minutos.

3. Após 15 minutos, você pode comer e beber normalmente.

4. Depois do lanche, almoço e jantar não se deve comer ou beber nada durante 2 horas.

5. Pessoas idosas ou doentes que não podem beber 2 copos de água, no início podem começar por tomar um copo de água e aumentar gradualmente.

6. O método de tratamento cura os doentes e permite aos outros desfrutar de uma vida mais saudável.

A lista que se segue apresenta o número de dias de tratamento que requer a cura das principais doenças:

1. Pressão Alta - 30 dias

2. Gastrite - 10 dias

3. Diabetes - 30 dias

4. Obstipação - 10 dias

5. Câncer - 180 dias

6. Tuberculose - 90 dias

7. Os doentes com artrite devem continuar o tratamento por apenas 3 dias na primeira semana e, desde a segunda semana, diariamente.

Este método de tratamento não tem efeitos secundários. No entanto, no início do tratamento terá de urinar frequentemente.

É melhor continuarmos o tratamento mesmo depois da cura, porque este procedimento funciona como uma rotina nas nossas vidas. Beber água é saudável e dá energia.

Isto faz sentido: o chinês e o japonês bebem líquido quente com as refeições, e não água fria.

Talvez tenha chegado o momento de mudar seus hábitos de água fria para água quente, enquanto se come. Nada a perder, tudo a ganhar!

Para quem gosta de beber água fria:
Beber um copo de água fria ou uma bebida fria após a refeição solidifica o alimento gorduroso que você acabou de comer. Isso retarda a digestão.

Uma vez que essa 'mistura' reage com o ácido digestivo, ela reparte-se e é absorvida mais rapidamente do que o alimento sólido para o trato gastrointestinal. Isto retarda a digestão, fazendo acumular gordura em nosso organismo e danifica o intestino.

É melhor tomar água morna, ou se tiver dificuldade, pelo menos água natural.

Nota muito grave - perigoso para o coração:

As mulheres devem saber que nem todos os sintomas de ataques cardíacos vão ser uma dor no braço esquerdo.

Esteja atento para uma intensa dor na linha da mandíbula. Você pode nunca ter primeiro uma dor no peito durante um ataque cardíaco.

Náuseas e suores intensos são sintomas muito comuns.

60% das pessoas têm ataques cardíacos enquanto dormem e não conseguem despertar. Uma dor no maxilar pode despertar de um sono profundo...

Sejamos cuidadosos e vigilantes.

Quanto mais se sabe, maior chance de sobrevivência...

Um cardiologista diz que se todos que receberem esta mensagem, a enviarem a pelo menos uma das pessoas que conhecem, pode ter a certeza de que, pelo menos, poderá salvar uma vida.

Ser um verdadeiro amigo é enviar este artigo para todos os seus amigos e conhecidos.

Acabei de fazer isso!

video
PLANETA ÁGUA















ENRIQUEÇA SEU VOCABULÁRIO - 3ª EDIÇÃO


BRASILEIRISMO: É o termo da lingua portuguesa típico do Brasil. A maioria é de origem amerindia ou africana, regionalismos, neologismos e arcaísmos. você conhece os brasileirismos abaixo? por Ricardo Salles.

LULA E SUA EVOLUÇÃO LINGUÍSTICA


1. Baiuca   s.f. -  
A):  tipo de sandália
B):  arca para guardar dinheiro
C):  botequim sujo.

2. Boiola  s.f. -
A):  ex-jogador de futebol
B):  sujeito afeminado
C):  valentão

3. Breque  s.m -
A):  o mesmo que roda
B):  o mesmo que farol
C):  o mesmo que freio.
                                                                                                                                .
4. Frajola  adj. e s.  2 gên. -
A):  pessoa muito elegante  
B):  pessoa muito religiosa
C):  pessoa sem caráter.

5.  Guaribar  vb. -
A):  sujar
B):  andar nuito depressa
C):  ajeitar de maneira superficial.

6. Jereba  s.f. -
A):  o mesmo que prostituta
B):  índia guerreira
C):  personagem mitológica xavante..

7.  Mafuá  s.m. -
A):  tipo de embarcação
B):  parque de diversões
C):  lugar sagrado dos escravos.

8. Mocotó  s.m. -
A):  a pata do bovino sem o casco
B):  cabeça de equinos
C):  pele de caprinos.

9. Paiba  adj. 2 gên. -
A):  diz-se da pessoa muito cruel
B):  desastrado
C):  que tem muitas habilidades.

l0. Pamonha  s.f. -
A):  sopa de tapioca
B):  cozido de peixe
C):  tipo de bolo de milho.

11. Pirapanema  s.m. -
A):  lugar onde há muito peixe
B):  pescaria noturna
C):  lugar com poucos peixes

12. Punguista  s.  2 gên. -
A):  lutador de boxe
B):  policial aposentado
C):  batedor de carteira

13. Tanajura  s.f. -
A):  mulher com quadris muito largos
B):  mulher com braços longos
C):  mulher com cabelos compridos.

14. Vitinga  s.f. -
A):  espécie de sôpa
B):  farinha de mandíoca
C):  fruta amazônica.

15. Xará  s.  2 gên. -
A):  irmão gêmeo
B):  escravo doméstico
C):  que tem o mesmo nome de outro.

video
MARKES E MURILLO -  MÚSICA  " O XARÁ"




domingo, 30 de janeiro de 2011

LITERATURA ACADÊMICA - BIG BROTHER BRASIL - 1ª EDIÇÃO

NOTA DO EDITOR:  Poema de Luis Fernando Veríssimo "A Pessoa Errada" -  Cantor: Bryan Adams - música  "Heaven".

                          video
LUIS FERNANDO VERÍSSIMO - A PESSOA ERRADA


BIG BROTHER BRASIL:

(Luis Fernando Veríssimo)


Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB),
produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos
chegar ao fundo do poço...A décima primeira (está indo longe!) edição do
BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser
difícil,... encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho
atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que em Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu
fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente
pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo.
Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas,
heteros... todos, na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por
Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que
quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou
heterosexuais. O BBB é a realidade em busca do IBOPE...

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um
“zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem
variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritorcomo Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se
submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que
recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do
humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.

Eu gostaria de perguntar, se ele não pensa que esse programa é a morte da
cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro
repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio
de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de
heróis. Caminho árduo? Heróis?

São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros:
profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os
professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis
que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação,
competência e amor, quase sempre mal remunerados..

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por
dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo
santo dia.

Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas
porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.
Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas
contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em
outra reportagem apresentada, meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não
acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores,
nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo,
o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos
como valor, ética, trabalho e moral.

E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender
o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!
Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio
Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem
a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a

Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir:
oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.
Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a
programas de inclusão social: moradia, alimentação, ensino e saúde de
muitos brasileiros?

(Poderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000
computadores!)
Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e
indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.
Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana
ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ler a Bíblia, orar, meditar,
passear com os filhos, ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música...,
cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os
avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou
simplesmente dormir. Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de
dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi
construída nossa sociedade.

Um abismo chama outro abismo!


NOTA DO EDITOR:  Caro leitor. Tire sua conclusão e procure perceber se no BBB; comete ou não, "os sete pecados capitais".  Não precisa ser nenhum  "Sherlock Holmes"  para  descobrir não  somente os sete pecados capitais, como também, "os dez pecados mortais"  e pior ainda - todos os pecados do mundo!.

video
SHERLOCK HOLMES - DETETIVE



REDAÇÃO FINAL: Várias coisas  dignificam um homem, outras realizam mais: Formar-se, exercer uma atividade, ter uma mulher, filhos, ter uma casa e plantar uma árvore. Mas a que causa maior satisfação é ver sua prole progredir!... seguir seu caminho próprio e vencer na vida!.  Quantas vezes, alguns amigos mais chegados, pergunta-nos: "Como vão seus filhos?" - e com alegria você responde " O Herbert é médico, Adriana está fazendo engenharia e o Paulinho passou no vestibular da Ufba!". Seja qual for sua resposta, você sempre dará com um sorriso estampado no rosto.  Portanto. o desenvolvimento dos filhos,é a maior dávida que um casal pode receber da vida!.Oriente seus filhos menores a pesquisar no dicionário as palavras que tenham dúvidas, principalmente áquelas da postagem "Enriqueça seu vocabulário". Faça  deste Blog o seu livro de cabeceira, porque ele foi criado para levar o que há de melhor para você, seus amigos e seus familiares. Muito grato. Blog do Painho.

DOMINGÃO 30.01.2011,4 ª EDIÇÃO "O VALE EM FLOR"

NOTA INICIAL:  Na vida tudo muda, tudo é diferente a cada dia!. Domingo passado fez  sol brilhante, e hoje sol ofuscante!. Choveu até antes de começar a partida!."Depois da tempestade vem a bonança".Assim
começamos  a agradecer ao Grande Mestre, mais uma oportunidade que nos dá neste dia -  a de podermos participar deste baba de domingo, na Asbac.A chuva molha a terra,as plantas são regadas naturalmente, as folhas que estavam secas se abrem num multi-colorido espetcular!.O tema de hoje: " O Vale sempre em flôr" e Jaime que foi o vencedor da partida, terminou levando uma flor para Laura -A linda Laura de
Altemar Dutra!.

video
ALTEMAR DUTRA - LAURA


ORDEM DE CHEGADA:   Adelvan, Carlos, Painho, Otavio, Odair, Silvio, Renê, Serrinha, Kazuo,Messias, Marcelino, Vinicius, Sérgio, Paulo Huck - os diretores:  Getulio, Jaime e Rivelino - e os convidados são: Batista,  Patury., Roca e Tourão
O TIME DE JAIME:   Boris (gol.),  Serrinha, Silvio, Odair, Renê, Painho (Batista), Marcelino (Roca
O TIME DE REVELINO:  Tourão (Plinio),  Otavio (Tavinho), Adelvan, Messias, Kazuo, Vinicius e Carlos (Patury).
PLACAR ESPORTIVO:  Jaime  5x3  Rivelino
GOLS DO TIME DE JAIME:   Silvio  04  e  Serrinha 01
GOLS DO TIME DE RIVELINO:   Adelvan  02  e Patury 01

RESENHA:  O destaque de hoje foi a dupla  Painho e Silvio que estava infernal!. Painho se deslocava no ataque para confundir a marcação de Messias e Silvio aproveitava  a brecha para entrar pelo meio. Painho deixou o campo, contundido - machucou o tendão e saiu amparado por Tourão. Ele deixou o jogo,  triste, porém vencendo de 3x0. Com esta tática criada por Painho e bem executada por Silvio, nossa equipe deu olé no adversário e terminou  vencendo a partida por 5x3.Silvio fez 04 gols e pediu sua música: "Quero ouvir o hino do meu Bahia"!.

                    Solicitação do torcedor:  Silvio Ricardo Santos  - 
atleta do "Domingão da Asbac"
video
TORCIDA DO BAHIA 2010 - TAÇA DE OURO

video
HINO DO BAHIA - BICAMPEÃO BRASILEIRO -
1959-1988



Postagens:  Janeiro de 2011:
A HISTÓRIA DE PAPAI NOEL E O NATAL
14/12/2010   -  7.499 Visualizações de página

BABA DE JOAQUIM (Ratinho) x BABA DE TOINHO FILHO...
08/12/2010   -  1.016 Visualizações de página

OS PRIMEIROS CAMPEÕES DA ASBAC EM 2010
11/12/2010   -    905 Visualizações de página

DOMINGÃO DA ASBAC - 28.11.2010
29/11/2010    -   863 Visualizações de página

FINAL DO CAMPEONATO "SOLIDARIEDADE" - "MASTER" E...
11/12/2010    -    742 Visualizações de página

A HISTÓRIA DAS COPAS DO MUNDO - DE 1930 A 2010
04/01/2011,   -    738 Visualizações de página

BABA DO DOMINGÃO - 05.12.2010
05/12/2010    -    268 Visualizações de página

RIR É OI MELHOR REMÉDIO - 5ª EDIÇÃO
20/12/2010    -     234 Visualizações de página

HISTÓRIA DE JEQUIÉ - CIDADE SOL
25/12/2010    -     210 Visualizações de página

TORNEIO SOLIDARIEDADE - 2010.
11/12/2010    -     184 Visualizações de página


Público geral ate 30.01.2011:

Visualizações de página por país:
Brasil                20.202
Portugal                 871
Estados Unidos      470
Reino Unido           120
Croácia                  110
França                     54
Alemanha                45
Itália                        41
Espanha                  29
Japão                      26
Argentina                 06
Arábia Saudita         05
Rep.Dominicana      04
Suiça                      03

sábado, 29 de janeiro de 2011

AS MELHORES CANTORAS DO BRASIL - CLARA NUNES

NOTA DO EDITOR:  Todos têm conhecimento que este BLOG começa em ordem cronologicámente alfabética. Foi assim com "Os Melhores Esportistas do Século 20 de letra A a Z. Assim  também, com os homenageados e com os assuntos comparativos: Exemplo: Cláuida Leite e Ivete -  Globo e Record e por postagem mais recente: primeiro o pássaro Benteví, depois o Canário e por uiltimo o Sabiá. Sempre segui
esta regra!. Diz o ditado: "Toda regra tem excessão".um dito popular! Posso até fugir à regra, mas nunca à excessão, Assim, abro essa nova série, reverenciando uma das maiores sambistas brasileiras de todos os tempos.porém desta vez, vou iniciar a matéria sem começar pela letra A.  Estou homenageando uma  das maiores cantoras do Brasil. A inesquecível CLARA FRANCISCA GONÇALVES PINHEIRO - "A IMORTAL"  CLARA NUNES.  O video abaixo traz a música "Feira de Mangaio" interpretada por esse
conjunto de jovens meninas e seu criador Sivuca. Uma das músicas preferidas de Clara, que inclusive, fez dueto com o acordeonista e compositor Sivuca.  Com vocês: "O Conjunto Clã Btasil  e Sivuca".  Uma   homenagem à famosa sambista  guerreira -Clara Nunes. 

video
CONJUNTO CLÃ BRASIL  E  SIVUCA

 

Clara Nunes:

Informação geral:

Nome completo Clara Francisca Gonçalves Pinheiro

Apelido A Guerreira

Nascimento 12 de agosto de 1943

Origem Paraopeba, Minas Gerais  - Brasil

Data de morte 2 de abril de 1983 (39 anos)

Gêneros Samba, MPB

Instrumentos: voz

Período em atividade 1960 - 1983

Clara Francisca Gonçalves Pinheiro, conhecida como  Clara Nunes  (Paraopeba), 12 de agosto de 1943 — Rio de Janeiro, 2 de abril de 1983), foi uma cantora brasileira, considerada uma das maiores intérpretes do país. Pesquisadora da música popular brasileira, de seus ritmos e de seu folclore, Clara também viajou várias vezes para a África, representando o Brasil. Conhecedora das danças e das tradições afro-brasileiras, ela se converteu à umbanda. Clara Nunes seria uma das cantoras que mais gravaria canções dos compositores da Portela, sua escola do coração. Também foi a primeira cantora brasileira a vender mais de 100 mil cópias, derrubando um tabu segundo o qual mulheres não vendiam disco


PARAOPEBA - NA ÉPOCA ERA  SEDE DO DISTRITO DE CEDRO

DISTRITO DE CEDRO - ATUAL CAETANÓPOLIS
TERRA NATAL DE  CLARA NUNES


Biografia:

Caçula dos sete filhos do casal Manuel Ferreira de Araújo e Amélia Gonçalves Nunes, Clara Nunes nasceu no interior de Minas Gerais, no distrito de Cedro - à época pertencente ao município de Paraopeba e depois esse distrito virou cidade e foi emancipado com o nome de Caetanópolis, onde viveu até os 16 anos.

Marceneiro na fábrica de tecidos Cedro & Cachoeira, o pai de Clara era conhecido como Mané Serrador e também era violeiro e participante das festas de Folia de Reis. Mas Manuel morreu em 1944 e, pouco depois, Clara ficaria também órfã de mãe e acabaria sendo criada por sua irmã Dindinha (Maria Gonçalves) e o irmão José (conhecido como Zé Chilau). Naquela época, Clara participava de aulas de catecismo na matriz da Cruzada Eucarística. Lá também cantava ladainhas em latim no coro da igreja.

Segundo as suas próprias palavras, cresceu ouvindo Carmem Costa, Ângela Maria e, principalmente, Elizeth Cardoso e Dalva de Oliveira, das quais sempre teve muita influência, mantendo, no entanto, estilo próprio. Em 1952, ainda menina, Clara venceu seu primeiro concurso de canto organizado em sua cidade, interpretando "Recuerdos de Ypacaraí". Como prêmio, ganhou um vestido azul. Aos 14 anos, Clara ingressou como tecelã na fábrica Cedro & Cachoeira, a mesma para o qual seu pai trabalhou.

Teve que se mudar para Belo Horizonte, indo morar com a irmã Vicentina e o irmão Joaquim, por causa do assassinato de um namorado, cometido em 1957 por seu irmão Zé Chilau. Na capital mineira, Clara trabalhou como tecelã durante o dia e fez o curso normal à noite. Aos finais de semana, participava dos ensaios do Coral Renascença, na igreja do bairro onde morava. Naquela época, conheceu o violonista Jadir Ambrósio, conhecido por ter composto o hino do Cruzeiro). Admirado com a voz da jovem de 16 anos, Jadir levou Clara a vários programas de rádio, como "Degraus da Fama", no qual ela se apresentou com o nome de Clara Francisca.

Mudança de nome:

No início da década de 1960, Clara conheceu também Aurino Araújo (irmão de Eduardo Araújo), que a levou para conhecer muitos artistas. Aurino também seria seu namorado durante dez anos. Por influência do produtor musical Cid Carvalho, mudou o nome para Clara Nunes, usando o sobrenome da mãe. Quando solteira se chamava Clara Francisca Gonçalves de Araújo, depois de casada que adotou o sobrenome Pinheiro.

Em 1960, já com o nome de Clara Nunes e ainda como tecelã, ela venceu a etapa mineira do concurso "A Voz de Ouro ABC", com a música "Serenata do Adeus", composta por Vinicius de Moraes e gravada anteriormente por Elizeth Cardoso. Na final nacional do concurso realizada em São Paulo, Clara Nunes obteve o terceiro com a canção "Só Adeus" (de Jair Amorim e Evaldo Gouveia).

A partir daí, Clara Nunes começou a cantar na Rádio Inconfidência de Belo Horizonte. Durante três anos seguidos foi considerada a melhor cantora de Minas Gerais. Ela também passou a se apresentar como crooner em clubes e boates na capital mineira e chegou a trabalhar com o então baixista Milton Nascimento - àquela altura conhecido como Bituca.

Naquela época, fez sua primeira apresentação na televisão, no programa de Hebe Camargo em Belo Horizonte. Em 1963, Clara Nunes ganhou um programa exclusivo na TV Itacolomi, chamado "Clara Nunes Apresenta" e exibido por um ano e meio. No programa se apresentavam artistas de reconhecimento nacional, entre os quais Altemar Dutra e Ângela Maria.

Viveu em Belo Horizonte até 1965, quando se mudou para a cidade do Rio de Janeiro, mais especificamente para Copacabana.

COPACABANA - ONDE CLARA VEIO MORAR

                         

Os primeiros discos:

Já no Rio de Janeiro, Clara Nunes se apresentava em vários programas de televisão, como José Messias, Chacrinha, Almoço com as Estrelas e Programa de Jair do Taumaturgo. Antes de aderir ao samba, Clara cantava especialmente boleros. Além de emissoras de rádios e televisão, ela também percorreu escolas de samba, clubes e casas noturnas nos subúrbios cariocas.

Ainda em 1965, ela passou por um teste como cantora na gravadora Odeon, onde registrou pela primeira vez a sua voz em um LP. O disco foi lançado pela Rádio Inconfidência (onde Clara trabalhou quando morava em Belo Horizonte) e contava com a participação de outros artistas, todos da Odeon.

No ano seguinte, Clara foi contratada por esta gravadora, a primeira e a única em toda a sua vida. Naquele mesmo ano, foi lançado o primeiro LP oficial da cantora, "A Voz Adorável de Clara Nunes". Por insistência da gravadora para que ela interpretasse músicas românticas, Clara apresentou neste álbum um repertório de boleros e sambas-canções, mas o LP foi um fracasso comercial. Em 1968, Clara Nunes gravou "Você Passa e Eu Acho Graça", seu segundo disco na carreira e o primeiro onde cantaria sambas. A faixa-título (de Ataulfo Alves e Carlos Imperial) foi seu primeiro grande sucesso radiofônico.

No ano seguinte, a Odeon lançou "A Beleza Que Canta", LP no qual a cantora interpretou "Casinha Pequena", uma canção de domínio público. Ainda em 1969, Clara Nunes ganhou o primeiro lugar no "I Festival da Canção Jovem de Três Rios" com a música "Pra Que Obedecer" (de Paulinho da Viola e Luís Sérgio Bilheri) e ainda classificou a canção "Encontro" (de Elton Medeiros e Luís Sérgio Bilheri) na terceira colocação. Ficou em oitavo lugar "IV Festival Internacional da Canção Popular" com a música "Ave Maria do Retirante" (de Alcyvando Luz e Carlos Coqueijo), que foi lançada naquele mesmo ano em disco homônino.


Afirmação no samba:

Em 1970, Clara Nunes se apresentou em Luanda, capital angolana, em convite de Ivon Curi. No ano seguinte, a cantora gravou seu quarto LP, no qual interpretou e "É Baiana" (de Fabrício da Silva, Baianinho, Ênio Santos Ribeiro e Miguel Pancrácio), música que obteve considerável sucesso no carnaval de 1971, e "Ilu Ayê", samba-enredo da Portela (de autoria de Norival Reis e Silvestre Davi da Silva). Na capa do álbum, a cantora mineira fez um permanente nos cabelos pintados de vermelho e passou a partir daí a se vestir com roupas que remetiam às religiões afro-brasileiras.

Em 1972, Clara se firmou como cantora de samba com o lançamento do álbum "Clara Clarice Clara". Com arranjos e orquestrações do maestro Lindolfo Gaya e com músicos como o violonista Jorge da Portela e Carlinhos do Cavaco, o disco teve como grandes destaques as canções "Seca do Nordeste" (um samba-enredo da escola de samba Tupi de Brás de Pina), "Morena do Mar" (de Dorival Caymmi), "Vendedor de Caranguejo" (de Gordurinha), "Tributo aos Orixás" (de Mauro Duarte, Noca e Rubem Tavares) e a faixa-título "Clara Clarice Clara" (de Caetano Veloso e Capinam. Ainda naquele ano, Clara Nunes se apresentou no "Festival de Música de Juiz de Fora" e gravou um compacto simples da música "Tristeza, Pé no chão"  (de Armando Fernandes), que vendeu mais de 100 mil cópias.

video
CLARA NUNES - TRISTEZA  PÉ NO CHÃO


A Odeon lançou em 1973 o disco "Clara Nunes". Naquele mesmo ano, a cantora estreou com Vinicius de Moraes e Toquinho o show "O poeta, a moça e o violão" no Teatro Castro Alves, em Salvador. Também em 1973, Clara foi convidada pela Radiotelevisão Portuguesa para fazer uma temporada em Lisboa. Depois, percorreu alguns outros países da Europa, como a Suécia, onde gravou um especial ao lado da Orquestra Sinfônica de Estocolmo para a TV local.

Sucesso comercial:

Clara Nunes integrou a comissão que representou o Brasil no "Festival do Midem", em Cannes, em 1974. Por lá, a Odeon somente para o público europeu o disco "Brasília", que foi base para o LP "Alvorecer". Este álbum emplacou grandes sucessos como "Contos de Areia" (de Romildo S. Bastos e Toninho Nascimento), "Menino Deus" (de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) e "Meu Sapato Já Furou" (de Mauro Duarte e Elton Medeiros). O LP bateu recorde de vendagem para cantoras brasileiras, com mais de 300 mil cópias vendidas, um feito nunca antes registrado no Brasil. Ainda em 1974, a cantora atuou (ao lado de Paulo Gracindo), em "Brasileiro Profissão Esperança", espetáculo de Paulo Pontes, referente à vida da cantora e compositora Dolores Duran e do compositor e jornalista Antônio Maria. O show ficou em cartaz no Canecão até 1975 e gerou o disco homônimo.

video
CLARA NUNES E MILTON NASCIMENTO - CONTOS DE AREIA


Também em 1975, a Odeon lançaria ainda o LP "Claridade". Com grandes sucessos como  "O Mar Serenou" (de Candeia) e "Juízo Final" (de autoria de Nelson Cavaquinho e Élcio Soares), este álbum se tornou o maior sucesso da carreira da cantora, batendo o recorde de vendagem feminina e alavancando o samba-enredo da Portela na avenida, "Macunaíma, Herói da Nossa Gente" (de autoria de Norival Reis e Davi Antônio Correia), com o qual a escola classificou-se em 5º lugar no Grupo 1. Ainda naquele ano, Clara se casou com o poeta, compositor e produtor Paulo César Pinheiro e percorreu vários países da Europa em turnê.

                           video
CLARA NUNES - O MAR SERENOU


Clara Nunes gravou o LP "Canto das Três Raças" em 1976. Além da faixa-título (de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro), grande sucesso na carreira da cantora, o disco contava ainda com "Lama" (de Mauro Duarte), "Tenha Paciência" (de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito), "Riso e Lágrimas" (de Nelson Cavaquinho, Rubens Brandão e José Ribeiro), "Fuzuê" (de Romildo e Toninho) e "Retrato Falado" (de Eduardo Gudin e Paulo César Pinheiro).

Em 1977, a Odeon lançou o disco "As Forças da Natureza", um álbum mais dedicado ao partido alto. O LP teve como principais destaques a faixa-título (de João Nogueira e Paulo César Pinheiro), "Coração Leviano" (de Paulinho da Viola) e "Coisa da Antiga" (de Wilson Moreira e Nei Lopes). O disco ainda contou com a participação de Clementina de Jesus na faixa "PCJ-Partido da Clementina de Jesus" (de Candeia) e lançou "À Flor da Pele", primeira composição de Clara (feita em parceria com Maurício Tapajós e Paulo César Pinheiro).

Em 1978, foram lançados os álbuns "Guerreira", no qual Clara interpretou vários ritmos brasileiros além do samba - sua marca registrada -, e "Esperança",  com destaque para a faixa   "Feira de Mangaio" (de Sivuca e Glorinha Gadelha). Ainda naquele ano, participou do LP "Vida boêmia", de João Nogueira, no qual interpretou "Bela Cigana" (de João Nogueira e Ivor Lancellotti), e esteve - ao lado de Chico Buarque, Maria Bethânia e outros artistas - no show do Riocentro, que marcaria a história política brasileira devido à explosão de uma bomba.

video
CLARA NUNES - FEIRA DE MANGAIÕ


Em 1979, Clara participou do LP "Clementina", de Clementina de Jesus. Naquele mesmo ano, a cantora mineira se submetia a uma histerectomia (remoção do útero), após sofrer três abortos espontâneos, por causa dos miomas que possuía no útero. Também carregava problemas desse tipo desde a infância. Ela tentou de todos os métodos e não obtinha respostas. Por nutrir obsessão pela maternidade, a impossibilidade de ser mãe a fez sofrer muito, causando a Clara Nunes fortes abalos emocionais, superados pela entrega absoluta à carreira artística, a fazendo compor músicas belíssimas e de intensa carga emocional.

Últimos anos de vida:

Em 1980, Clara Nunes gravou o álbum "Brasil Mestiço", que fez sucesso nas emissoras de rádio de todo o país com "Morena de Angola" (composta por Chico Buarque em sua homenagem), "Brasil Mestiço, Santuário da Fé" (de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro), "Peixe com Coco" (de Alberto Lonato, Josias e Maceió do Cavaco), "Última Morada" (de Noca da Portela e Natal) e "Viola de Penedo" (de Luiz Bandeira). Ainda naquele ano, a cantora participou dos LPs "Cabelo de Milho" (de Sivuca) e "Fala Meu Povo" (de Roberto Ribeiro), e viajou para Angola representando o Brasil ao lado de Elba Ramalho, Djavan, Dorival Caymmi e Chico Buarque, entre outros.

Gravou em 1981 o LP "Clara", com grande sucesso para a música "Portela na Avenida" (de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro), com a participação especial da Velha Guarda da Portela nesta faixa, e estreou o show "Clara Mestiça" (dirigido por Bibi Ferreira). Ainda naquele ano, a Odeon lançou uma coletânea intitulada "Sucesso de Ouro"

video
CLARA NUNES - ESCOLA SE SAMBA PORTELA


Em 1982, a Odeon lançaria "Nação", o último álbum de estúdio da cantora. O LP teve como destaques a faixa-título (de João Bosco, Aldir Blanc e Paulo Emílio), "Menino Velho" (de Romildo e Toninho), "Ijexá" (de Edil Pacheco), "Serrinha" (de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro) - uma homenagem dos compositores à escola de samba Prazer da Serrinha e ao Morro da Serrinha, reduto do jongo, situadas em Vaz Lobo, subúrbio carioca. Ainda naquele ano, Clara se apresentou na Alemanha ao lado de Sivuca e Elba Ramalho e participou do LP "Kasshoku", lançado no Japão pela gravadora Toshiba/EMI, gravando um especial para a emissora de TV NHK.

video
CLARA NUNES - IJEXÁ 


Morte polêmica:

Em 5 de Março de 1983, Clara Nunes se submeteu a uma aparentemente simples cirurgia de varizes, mas a cantora acabou tendo uma reação alérgica a um componente do anestésico. Clara sofreu uma parada cardíaca e permaneceu durante 28 dias internada na UTI da Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro. Neste ínterim, a cantora foi vítima de uma série de especulações que circulavam na mídia sobre sua internação, entre elas "inseminação artificial, aborto, tentativa de suicídio, surra de seu marido Paulo César Pinheiro", em episódio semelhante ao ocorrido na morte de Elis Regina, no ano anterior.

Na madrugada de 2 de abril de 1983 - um Sábado de Aleluia -, Clara Nunes entrou oficialmente em óbito aos 39 anos de idade, vítima de um choque anafilático. A sindicância aberta pelo Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro na época foi arquivada, o que geraria por muitos anos suspeitas sobre as causas da morte da cantora. O corpo da cantora foi velado por mais de 50 mil pessoas na quadra da escola de samba Portela. O sepultamento no Cemitério São João Batista foi acompanhado por uma multidão de fãs e amigos. Em sua homenagem, a rua em Oswaldo Cruz onde fica a sede da Portela, sua escola de coração, recebeu seu nome.


RUA CLARA NUNES - RIO DE JANEIRO-BR.
 

Em 1986, a Velha Guarda da Portela interpretou "Flor do Interior" (de Manacéa), uma das muitas feita em homenagem à Clara Nunes, no disco "Doce Recordação" - produzido por Katsunori Tanaka e lançado no Japão. Outro compositor, Aluízio Machado (da Império Serrano), também compôs a música "Clara" em homenagem à cantora. Em 1988, Maria Gonçalves (irmã mais velha de Clara Nunes, que passou a criar a cantora quando esta tinha apenas quatro anos) reuniu várias peças do vestuário, adereços e objetos pessoais da cantora, e criou uma sala que abriga o acervo de sua obra em um espaço físico com cerca de 120 metros, anexado à creche que leva o seu nome em Caetanópolis.

Em 1989, a gravadora EMI-Odeon produziu a coletânea "Clara Nunes, O Canto da Guerreira". Também naquele ano, o selo WEA lançou para o mercado estadunidense o álbum "O Samba: Brazil Classics 2", com vários artistas e incluindo Clara Nunes.

Três anos depois, a EMI-Odeon lançou "Série 2 em 1", compilação em CD de dois LPs: "Brasil Mestiço" e "Nação", e a gravadora norte-americana World Pacific lançou "Best of Clara Nunes" no mercado dos Estados Unidos. Em 1993, o selo Som Livre lançou "Clara Nunes - 10 anos" - em lembrança ao décimo aniversário de morte da cantora - e a EMI-Odeon lançou pela "Série 2 em 1" os discos "Adoniran Barbosa" e "Adoniram Barbosa e Convidados", este último também contou com a participação de Clara Nunes. Esta mesma gravadora lançaria em 1994 as coletâneas "O Canto da Guerreira", "O Canto da Guerreira Volume 2" e "Meus Momentos". Também naquele ano, a gravadora Saci lançou o álbum "Homenagem a Mauro Duarte", que contou com a voz de Clara Nunes, uma de suas maiores amigas e a sua principal intérprete.

Em 1995, a Odeon lançou "Clara Nunes com Vida", álbum produzido por Paulo César Pinheiro e José Milton, no qual foram acrescidas as vozes de outros artistas - Emílio Santiago, Martinho da Vila, Chico Buarque, Nana Caymmi, Roberto Ribeiro, João Bosco, Elba Ramalho, Gilberto Gil, Milton Nascimento, Alcione, Marisa Gata Mansa, Paulinho da Viola, Ângela Maria e João Nogueira - fazendo duetos com Clara Nunes, e "O Talento de Clara Nunes", outra coletânea.

No ano seguinte, a EMI-Odeon reeditou a obra completa de Clara Nunes, que incluíam 16 discos com as capas reproduzidas do original, remasterizados no Estúdio Abbey Road, em Londres, considerado o melhor do mundo. Três anos depois, a cantora Alcione gravou "Claridade", um álbum com os maiores sucessos da carreira da amiga. Em 2001, foi apresentado no teatro do Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, o musical "Clara Nunes Brasil Mestiço", e no ano seguinte foi lançado o livro "Velhas Histórias, Memórias Futuras" de Eduardo Granja Coutinho, no qual o autor faz várias referências à cantora.

Em comemoração aos seus 60 anos, que seriam completados em 2003, a gravadora DeckDisc lançou "Um Ser de Luz - Saudação à Clara Nunes", álbum produzido por Paulão Sete Cordas e que contou a participação de diversos artistas interpretando parte de seu repertório, como Mônica Salmaso ("Alvorecer"), Élton Medeiros ("Lama"), Rita Ribeiro ("Morena de Angola"), Mar'tnália ("Ijexá"), Fafá de Belém ("Sem Compromisso"), Renato Braz ("Menino Deus" e "Nação"), Falamansa ("Feira de Mangaio"), Monarco e Velha Guarda da Portela ("Peixe com Coco"), Cristina Buarque ("Derramando Lágrimas"), Dona Ivone Lara ("Juízo Final"), Nilze Carvalho ("A Deusa dos Orixás"), Teresa Cristina ("As Forças da Natureza"), Pedro Miranda ("Candongueiro"), Alfredo Del Penho ("Coisa da antiga"), Wilson Moreira ("O Mar Serenou"), Helen Calaça ("Basta um Dia") e ainda participações de Seu Jorge, Walter Alfaiate e Elza Soares, entre outros.

Em 2004, a Prefeitura de Caetanópolis inaugurou o Instituto Clara Nunes (anexo à Creche Clara Nunes), ambos coordenados pela irmã de Clara, Maria Gonçalves e lançou a ideia de se criar o "Museu Clara Nunes", em memória de sua filha mais ilustre da cidade. O museu será no antigo cinema Clube Cedrense, que pertencia à fábrica têxtil Cedro-Cachoeira, no qual a cantora se apresentou pela primeira vez. Também naquele ano, a EMI lançou uma caixa em nove CDs reunindo os 16 LPs solos de Clara Nunes, raridades e participações da cantora em discos alheios e tributos e ainda a reedição dos primeiros discos da cantora, fase na qual interpretava versões de canções italianas, francesas e boleros românticos.

No ano seguinte, a mesma gravadora lançou "Clara Nunes canta Tom e Chico", coletânea na qual compilou algumas gravações de discos anteriores da cantora, entre elas "Apesar de Você", "Umas e Outras", "Desencontro", "Morena de Angola" e "Novo Amor" (todas de Chico Buarque, "Insensatez" e "A Felicidade" (de Tom Jobim e Vinícius de Moraes), além de "Sabiá" (da dupla Tom e Chico).

Em 2006 foi encontrada mais uma interpretação inédita de Clara Nunes. A composição "Quem Me Dera" (de Maurício Tapajós e Hermínio Bello de Carvalho) foi incluída no álbum póstumo de Maurício Tapajós, "Sobras Repletas", que também trouxe uma outra composição, também em sua homenagem, desta vez feita em sua homenagem, "Surdina" (de Maurício Tapajós e Cacaso). Em 2007, o jornalista Vagner Fernandes lançou a biografia "Clara Nunes - Guerreira da Utopia", que trouxe entrevistas com vários compositores e intérpretes, entre os quais Chico Buarque, Paulinho da Viola, Alcione, Hermínio Bello de Carvalho, Hélio Delmiro, Milton Nascimento, Monarco e Paulo César Pinheiro, além de familiares e amigos.

Após a morte, virou mito na música popular brasileira:

Discografia:

Obra:

1966 - A Voz Adorável de Clara Nunes (Odeon) 4.127 cópias vendidas

1968 - Você Passa e Eu Acho Graça (Odeon) 7.542 cópias vendidas

1969 - A Beleza Que Canta (Odeon) 5.856 cópias vendidas

1971 - Clara Nunes (Álbum) (Odeon) 158.710 cópias vendidas

1972 - Clara Clarice Clara (Odeon) 164.542 cópias vendidas

1973 - Clara Nunes (Álbum de 1973) (Odeon) 250.120 cópias vendidas

1974 - Brasileiro Profissão Esperança (Odeon) 219.010 cópias vendidas

1974 - Alvorecer (Odeon) 784.028 cópias vendidas

1975 - Claridade (Odeon) 1.125.410 cópias vendidas

1976 - Canto das Três Raças (EMI-Odeon) 1.285.058 cópias vendidas

1977 - As Forças da Natureza (EMI-Odeon) 809.047 cópias vendidas

1978 - Guerreira (EMI-Odeon) 1.011.005 cópias vendidas

1979 - Esperança (Álbum) (EMI-Odeon) 900.485 cópias vendidas

1980 - Brasil Mestiço (EMI-Odeon) 2.002.450 cópias vendidas

1981 - Clara (EMI-Odeon) 811.587 cópias vendidas

1982 - Nação (EMI-Odeon) 1.254.998 cópias vendidas

Ao Vivo:

2008 - Poeta, Moça e Violão (com Vinícius de Moraes e Toquinho) (Biscoito Fino) CD

Coletâneas:

1979 - Sucessos de Ouro (EMI-Odeon) 573.568 cópias vendidas

1983 - Clara Morena (EMI-Odeon) 489.656 cópias vendidas

1984 - Alvorecer (Som Livre) 501.254 cópias vendidas

1984 - A Deusa dos Orixás (Som Livre) 415.074 cópias vendidas

1985 - Clara (EMI-Odeon) 480.081 cópias vendidas

1989 - O Canto da Guerreira (EMI) 400.456 cópias vendidas

1990 - O Canto da Guerreira Vol.2 (EMI) 500.125 cópias vendidas

1993 - 10 Anos (Som Livre) 200.425 cópias vendidas

2003 - Para Sempre Clara

2005 - Clara Nunes Canta Tom e Chico

2007 - Mestiça (EMI)

2008 - Sempre (Som Livre)

Tributos:

1995 - Clara Nunes Com Vida (EMI) - Vários Artistas 205.855 cópias vendidas

1999 - Claridade (Globo/Universal) - Alcione

2003 - Um Ser de Luz - Uma Saudação a Clara Nunes - Vários Artistas

DVD:

2008 - Clara Nunes (EMI - Globo Marcas) - Coletânea com alguns dos videoclipes da cantora exibidos no programa Fantástico - Rede Globo.

RUA CLARA NUNES - RJ. ( NA ENTRADA DA PORTELA)

CLARA NUNES -  "GUERREIRA"
( 12.08.1943 +  02.04.1983)


sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

PIADAS DE AMIGOS ENVIADAS POR E.MAIL - 1ª EDIÇÃO

DIÁRIO DE UMA DOMÉSTICA:



Hoje de manhã eu fui à feira.
 Antes de sair, meu patrão me pediu para eu trazer figo.
Aí eu perguntei:
- Figo fruta ou bife de figo?
O home ficou uma fera.
Gente fina, seu Adamastor, num ligo não.
Ele tem sistema nervoso.
Também, com um emprego chato daqueles, vou te contar.
Ele é Fiscal da Receita.
Deve ser um saco ficar conferindo receita de médico o dia inteiro.
Depois chegou o Adamastorzinho, o filho mais novo deles.
Acabou de ganhar um carro todo equipado.
Tem roda de maionese, farol de pilha, teto ensolarado e trio elétrico.
Não sei por que trio elétrico num carro deve ser porque ele gosta de música baiana.
Aproveitando a ausência dos patrões, Dircinéia pega o telefone e fofoca com a amiga Craudete: - Cê num sabe da úrtima?
Eu discubri que aqui nessa mansão que eu trabaio é tudo fachada!
- Como assim, Dircinéia ? - pergunta a colega, confusa.
- Nada aqui é dos patrão!!!
Tudo é imprestado!!!
TUDO!!!
Cê cridita numa coisa dessas???
Óia só: a rôpa que o patrão usa é dum tal de Armani...
A gravata é dum tal de Perre Cardine...
Os moveis são do tal Luis Quinzi...
O carro é de uma tal de Mercedes...
Nadica de nada é deles.
- Nooooossa, que pobreza!!!
- E além de pobre, eles são muito inxibido...
Magina que ôtro dia eu escutei o 'patrão no telefone falano que tinha um Picasso.
- E num tem?
-Que nada, fia... é piquinininho de dá dó !'

EMPREGADA DOMÉSTICA

video




Assunto: Cacete Armado do baiano:



Explicação aos não Baianos: Na Bahia toda casa de comercio mal estruturada, se chama "Cacete armado".


NO CACETE ARMADO DO BAIANO:


Um Baiano lá pras bandas de Itapoã tinha um cacete armado, que ganhou fama nacional e internacional, pois tudo o que você viesse precisar, encontrava no cacete armado. De queijo, passando por lingüiça, torresmo e charque até peças para BMW, Ferrari e Boeing 737.
Era incrível!
Um paulista ficou sabendo do cacete armado e entrou numa de sacanear com o Baiano.
Embarcou então pra Bahia e se dirigiu para o cacete armado.
Ocorreu a seguinte conversa:


Paulista: Aí meu chapa, ouvi dizer que neste cacete armado tem de tudo!
Baiano: -Pois é, tem umas coizinhas sim ...
Paulista: -Tem PODELA?
Baiano (meio surpreso):-Hoje eu não tenho não, mas se passar aqui amanhã eu vou ter.
Paulista: Legal, então amanhã eu passo aqui.


O Paulista saiu fora deixando o Baiano encafifado. Não era pra menos:
Ele havia inventando a palavra PODELA lá na hora, só pra enganar o caceteiro.
- Podela, podela, podela, que é isso porra? - Pensou o Baiano.
No final da tarde, fechou o cacete armado e saiu a andar e perguntar se alguém sabia o que era podela, mas, ninguém sabia. Com medo de que seu cacete armado perdesse a fama, o Baiano desesperado foi para casa, tomou umas pingas, comeu uma tremenda feijoada com charque, fechando com uma bela sobremesa de doce de batata-doce.
Acordou de madrugada com uma tremenda dor de barriga, foi no banheiro e cagou aquele barro que nem ele conseguia aguentar o cheiro, ai pensou num jeito de lascar o Paulista, colocou aquela coisa num forno bem quente e, após algumas horas, tirou do forno já bem seco e moeu até virar pó e a empacotou.
Amanhecendo o dia, pegou o pacote e foi pro cacete armado. Pouco depois chegou o Paulista louco para ver a atitude do Baiano ao dizer que não tinha sua encomenda.
Ocorreu então a seguinte conversa:


Paulista: -E aí Baiano, conseguiu a minha encomenda?
Baiano: - Oxe, consigui sim, tá aqui, da uma provadinha.
Paulista (cabreiríssimo) : -Tá legal, me dá aí, e puto da vida, encheu a mão daquele pó colocou na boca e disse:
-Pô, meu, isto aqui é merda!
Baiano: Merda não, É o "PÓ DELA".

CACETE ARMADO BAIANO
video
CLARA NUNES E SIVUCA - "FEIRA DE MANGAIÔ"