terça-feira, 30 de agosto de 2011

CORDEL ENCANTADO - BABA DE TERÇA, 30.08.2011 - 64ª EDIÇÃO.

LISTA DE PRESENÇA:  Otavio, Catala, Ernane, Osvaldo, Schubach, Renê, Luis Valverde, Mauro, Remo, Painho, Mauricio, Serrinha, Zé Curvello, Clone, Pains, Toinho, Marcelo D-2, Julio Mula Manca, Lourival e Beré.

TIME DE OSVALDO:  Osvaldo, Marcelo D-2, Zé Curvello, Schubach, Toinho, Clone, Ernane (Lourival) e Julio Mula Manca e Luis Valverde "Delegado Batoré". -  (padrão vermelho)
TIME DE OTAVIO:  Otavio, Serrinha, Mauricio "Dr.Smith", Mauro, Renê, Catalá, Remo, Painho (Beré) e Pains. (padrão azul)
PLACAR DA PARTIDA:  Osvaldo 3x3 Otavio 
GOLS DO TIME DE OSVALDO:  Marcelo 2 e Osvaldo 1
GOLS DO TIME DE OTAVIO:  Serrinha 2 e Remo 1

RESENHA DA PARTIDA: Apesar do empate, o resultado não expressou a real história do jogo! O placar moral deveria ser Otavio 8x3 Osvaldo. Foi imcompetência ou falta de sorte dos atacantes do time azulino! Pains perdeu dois gols e Remo quatro, daqueles que até aleijado empurra para o fundo das redes!. Otavio , espirituoso que é, anda colocando apelidos na galera, e hoje quem não escapou foi o lateral Luis Valverde que foi comparado ao delegado "Batoré" da novela "Cordel Encantado" Vou postar dois vídeos: O primeiro em homenagem aos dois capitães Osvaldo e Otávio, (Pato Navegador e Pato Remador) que empataram em 3z3.  Hoje, "Nem deu Chico nem Francisco". O segundo vídeo presto homenagem ao santamarense Luis Varverde "Delegado Batoré" no vídeo clip de lançamento  da melhor novela da TV Globo, dos últimos quinze anos.  "Cordel Encantado". Que inclusive é o tema do dia.

OSVALDO 3x3 OTAVIO
Vídeo dedicado aos capítães: Osvaldo e Otavio
Compositores:
Romildo S.Bastos e  Toninho Nascimento
video
CLARA NUNES E MILTON NASCIMENTO
A música:  "É água do mar"

Vídeo dedicado à Luis Valverde
"Delegado Batoré"
video
NOVELA - "CORDEL ENCANTANADO"
Clipe de lançamento - TV Globo.


JESÚS CRISTO:  Suas frases e suas parábolas! 
"Ame a teu próximo como a ti mesmo e não faça aos outros o que não quer que façam contigo."

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

AS MELHORES CANTORAS DO BRASIL - ELLEN DE LIMA

Ellen de Lima:  Helenice Teresinha de Lima Pereira de Almeida., nasceu em Salvador-Bahia, em 24.03.1938.

Ellen de Lima
Informação geral
Nome completoHelenice Teresinha de Lima Pereira de Almeida
Nascimento24 de março de 1938
Origem Brasil Salvador, Bahia, Brasil
GênerosMPB
Período em atividade1950-presente
Gravadora(s)Columbia
RCA Victor
Chantecler
Odeon
CID
Leblon
Som Livre
AfiliaçõesAs Eternas Cantoras do Rádio

"AS CANTORAS DO RADIO"  Filme com as cantoras Carmelia Alves, Carminha Mascarenhas, Ellen de Lima e Violeta Cavalcante, em homenagem às célebres cantoras do rádio, das décadas  de 50 e 60. As divas e inesquecíveis: Ângela Maria, Aurora Miranda, Carmem Miranda, Dalva de Oliveira, Dircinha Batista,
Emulinha Borba, Izaurinha Garcia, Linda Batista, Marlene, Nora Nei e Núbia Lafaiete.

Trailler do filme "Cantoras do Radio
Estreou nos cinemas em: 11.06.2009
video
CARMÉLIA ALVES - CARMINHA MASCARENHAS
ELLEN DE LIMA E VIOLETA CAVALCANTE

Compositores: Zé da Zilda, Zilda do Zé
 e Waldir Machado
video
ELLEN DE LIMA - "AS ÁGUAS VÃO ROLAR"


Helenice Teresinha de Lima Pereira de Almeida, a Ellen de Lima (Salvador, 24 de março de 1938) é uma cantora e atriz brasileira que fez sucesso durante o período dourado do rádio, na década de 1950. Tornou-se conhecida do público por ser a intérprete da célebre "Canção das Misses", escrita por Lourival Faissal, para servir de tema do tradicional concurso de Miss Brasil.

Compositor: Lourival Faissal
video
ELLEN DE LIMA - "CANÇÃO DAS MISSES"
  

Início da carreira

Ellen nasceu na Bahia, mas já aos dois anos seguiu para o Rio de Janeiro. Começou sua carreira em 1950 no programa de calouros de César de Alencar, na Rádio Nacional, bem como no "Alvorada dos Novos", da Mayrink Veiga, pela qual foi contratada em 1954 para apresentar-se no Rio e em São Paulo.
Foi uma das primeiras contratadas da Columbia (depois CBS e atual Sony-BMG), no Brasil, lançando nesse mesmo ano o seu primeiro disco, a convite do maestro Renato de Oliveira, com o samba-canção "Até Você" (Armando Nunes) e o slow-fox "Melancolia" (Allain Romans, versão de Capitão Furtado).
Em 1957, fez sucesso com o bolero "Vício" (Fernando César), gravando seu primeiro LP, "Ellen".

Canção das misses

Foi na década de 1960 que Ellen de Lima conquistou o público brasileiro com a "Canção das Misses", tema do concurso de Miss Brasil, à época promovido pelos Diários Associados.

Outros trabalhos

Atuou bastante em televisão (trabalhou como atriz-cantora na TV Globo, ao lado de Fernanda Montenegro e Sérgio Britto) e em diversas boates, como a Oásis paulistana e O Galo, no Rio de Janeiro, além de participar de espetáculos no Copacabana Palace, ao lado de Haroldo Costa e das Irmãs Marinho.
A partir de 1988 passou a integrar o grupo As Eternas Cantoras do Rádio, ao lado de Carmélia Alves, Violeta Cavalcante, entre outras, com o qual gravou três CDs. No volume 3, gravou "Estrela" (Gilberto Gil), em duo com seu autor, e "Bésame" (Flávio Venturini e Murilo Antunes). Ellen já ganhou títulos importantes, como o de Rainha dos Músicos e a medalha Oswaldo Cruz.

Composição do francês: Gounod
video
ELLEN DE LIMA - "AVE MARIA"


Compositor:
video
ELLEN DE LIMA - "AO NASCER DO SOL"


EDITORIAL: Senhoras e senhores.É gratificante deparar-se com um vídeo histórico, como este, pulicado abaixo,em que a baiana Ellen de Lima, emociona-se ao cantar com o filho Rodrigo Almeida, que adentra no espetáculo de surpresa!. Notem a reação de nossa querida Elle de Lima, cena muito bonita e que demonstra o amor existente entre mãe e filho!.Vocês ainda têm mais opção Cliquem na postagem de A a Z que ficarão por dentro de vários assuntos de interesse geral!. Blog do Painho.

Show:  Encontro de Gerações
video
ELLEN DE LIMA E RODRIGO ALMEIDA
(Encontro de mãe e filho)


domingo, 28 de agosto de 2011

ROBERTO CARLOS - DOMINGÃO DA ASBAC, 28.08.2011 - 31ª EDIÇÃO.

DOMINGÃO DA ASBAC, 28.08.2011 - 15ª EDIÇÃO - "ROBERTO CARLOS".

LISTA DE PRESENÇA:  Odai, Silvio, Mota, Serrinha, Ernesto, Eduardinho, Renê, Reinaldo,  Vinícius, Gigio, Bartolinha, Messias, Totó, Chiquinho, Remo, Chicar, Carlinhos, Sidney, Marco, Toinho Abreu, Clone, Vieira, Sérgio e Roberto. Diretores: Alberto Sampaio e Fernando Figueira.

TIME DE RIVELINO:  Boris-gol.,  Renê (Sergio), Reinaldo, Chicar (Marco), Sílvio, Chiquinho (Chicar), Bartolinha (Sidney), Serrinha e Remo.(Clone). -  (padrão azul)
TIME DE PAINHO:  Ró-gol. (Luis Carlos), Eduardinho (Roberto), Messias, Totó (Toinho Abreu), Odaí, Vinícius (Carlinhos), Mota, Ernesto (Totó) e Gigio  -  (padão vermelho)
PLACAR DA PARTIDA;  Rivelino 4x1 Painho.
GOLS DO TIME DE RIVELINO:  Serrinha 2 - Clone 1 e Remo 1.
GOLS DO TIME DE PAINHO:  Totó 1.

RESENHA DA PARTIDA:  O que houve, foi absoluta falta de sorte do time de Painho. Um time que se jogar dez vezes contra o time de Rivelino, no mínimo vence sete vezes!. A "urucunbaca" estava solta  , e deu revertério no time de padrão vermelho, pois teve muitas chances de gols e somente um  foi convertido!.
Rivelino foi o grande vencedor de hoje, aplicando uma goleada em Painho de 4x1. Seu atleta Serrinha jogou muito bem e ainda marcou 2 gols, sendo eleito o melhor, jogador da partida!. Para Rivelino relembrar  seus tempos de boemia, vai a música do compositor Adelino Moreira com Cyro Aguiar - "Boêmio Demondê".

RIVELINO 4X1 PAINHO
Música dedicada ao vencedor Rivelino
video
CYRO AGUIAR - "BOÊMIO DEMONDÊ"


JOSÉ AIRTON ESPINHEIRA DANTAS: "Serrinha", foi escolhido para jogar no time de Rivelino. Fez a diferença, com ótima atuação e dois gols marcados!.Painho pressentiu que a "maré de hoje não estava pra peixe",recolheu o anzol e foi cabisbaixo para casa, a fim de assistir  logo mais,. o clássico entre  Flamengo x Vasco, válido pelo Brasileirão-2011. Porém, em reconhecimento à atuação de Serrinha, vou atender à sua solicitação e postar a música do compositor e cantor Roberto Carlos - "Detalhes"

Música solicitada pelo jogador Serrinha
video
ROBERTO CARLOS - "DETALHES"


EDITORIAL:  Estou publicando a partir de hoje "Frases de Nosso Senhor Jesús Cristo", para que vocês possam refletir, terem mais fé, mais esperança e mais sabedoria  para agir com moderação com seus semelhantes!
"Veja, se eu o enviar para dormir no meio dos lobos, seja esperto como as serpentes e inofensivo como os pombos".
Jesus de Nazaré,

sábado, 27 de agosto de 2011

DR. SMITH - CAMPEONATO DA ASBAC-OURO - AMÉRICA X MANDRAKE.

CAMPEONATO DA ASBAC - CATEGORIA: OURO - SÁBADO: 27.08.2011

SEGUNDA RODADA- Válido pela segunda rodada - Houve mais uma rodada futebolística entre os times do América x Mandrake, pelo segundo turno do "Campeonato Ouro" da Asbac-2011.

TIME DO AMÉRICA:  Luis Carlos-gol.,  Fóca (Remo), Schubach, Catalá, Chiquinho (Fóca), Vinícius (Antonio Carlos), Adolfo (Vinícius) e Clone. Dirigentes: Adolfo e Painho.
TIME DO MANDRAKE:  Jéfferson-gol., Cacau (Edson), Mauricio, Kazuo (Pituba), Warlei, Ratinho (Marco), Osvaldo, Marco (Mota) e Zé Curvello (Ratinho).  Dirigentes: Osvaldo e Ratinho.
PLACAR DA PARTIDA:  América 3x2 Mandrake.
GOLS DO TIME DO AMÉRICA:  Schubach 1 -  Antonio Carlos 1 (pênalte) 1 e  Clone 1
GOLS DO TIME DO MANDRAKE:  Ratinho 1 e Mota 1.
MELHOR JOGADOR DA PARTIDA: Na escolha do melhor jogador,Schubach empatou com Chicar em 4x4. No voto de minerva, Antonio Carlos, decidiu eleger Schubach, tendo em vista o gol,  marcado por ele, numa cobrança de falta).

RESENHA DA PARTIDA:  Prezados leitores (as) deste blog. Escrevo justamente para vocês ficarem por dentro de tudo que se passa no campeonato da Asbac-categoria OURO. O time do América - "O mais querido" foi o  primeiro campeão em 2010. Este ano (2011), já venceu o torneio inicio e o primeiro turno do campeonato "Série Ouro". Parte célere para o bi-campeonato!. É a única equipe que ainda não perdeu nenhuma partida!  Hoje, enfrentou o forte time do Mandrake, vencendo-o por 3x2. Para os torcedores do América em todo Brasil, dedico-lhes a música dos compositores  Hervê Cordovil e Luiz Gonzaga, na voz do filho Gonzaguinha e  Luiz Gonzaga, a canção de sucesso "Vida de Viajante"

AMÉRICA 3X2 MANDRAKE
Música dedicada à torcida americana
video
GONZAGUINHA E LUIZ GONZAGA
"Vida de Viajante"

EDITORIAL:  "DR. SMITH" - Perdidos no espaço.  O  jogador Mauricio Vianna Mattos,  levou para a Asbac, um som que mais  parecia uma  "Nave espacial". Foi o suficiente para Adolfo, Otavio, Marco e Zé Curvello dizerem "Pousou uma nave de outro planeta, dirigida pelo cientista aloprado, Dr.Smith". Vejam abaixo, a imagem do nosso cientista aloprado Dr.Smith,. apresentando aos jogadores do América.do Mandrake e a todos que se encontravam presentes,a sua nave espacial. Por falar no velho cientista e famoso  inventor Dr.Smith., vão assistir o vídeo do ator Jonathan Harris - (Dr.Smith), sobre sua viagem ao Brasil em 1969 e o segundo vídeo que narra a trajetória do  Dr. Smith  em  "Perdidos no Espaço"..

Mauricio Vianna Mattos - Dr.Smith
O cientista aloprado.
Baixe Image_000...jpg (1568,2 KB)
Baixe Image_000...jpg (1543,4 KB)
Nave espacial marciana da série
"Perdidos no Espaço"

Ator: Jonathan Harris - Dr. Smith
 video
DR.SMITH - FALA DA VISITA AO BRASIL

Ator: Jonathan Harris - Dr.Smith
video
SÉRIE "PERDIDOS NO ESPAÇO" DR.SMITH
Sua visita ao Brasil em 1969

Jonathan Harris (6 de novembro de 1914, Bronx, New York3 de novembro de 2002, Encino (Los Angeles)) foi um ator de teatro e televisão norte-americano.

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

AS MELHORES CANTORAS DO BRASIL - ELIZETH CARDOSO

Elizeth Cardoso: Elizete Noreira Cardoso, Rio de Janeiro 16.07.1920 e Rio de Janeiro 07.05.1990. (69 anos)

Elizeth Cardoso
Informação geral
Nome completoElizeth Moreira Cardoso
ApelidoA Divina
Nascimento16 de julho de 1920
Rio de Janeiro, RJ
Brasil
Data de morte7 de maio de 1990 (69 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Brasil
GênerosChoro
Samba-canção
Bossa nova
Instrumentosvocal
Extensão vocalContralto
Período em atividade1936 - 1990
Elizeth Cardoso (Rio de Janeiro, 16 de julho de 19207 de maio de 1990) foi uma cantora brasileira. Conhecida como A Divina, Elizeth é considerada uma das maiores intérpretes da música brasileira e um das mais talentosas cantoras de todos os tempos, reverenciada pelo público e pela crítica.

Biografia

Elizeth Moreira Cardoso nasceu na rua Ceará, no subúrbio de São Francisco Xavier, e cantava desde pequena pelos bairros da Zona Norte carioca, cobrando ingresso (10 tostões) das outras crianças para ouvi-la cantar os sucessos de Vicente Celestino. O pai, seresteiro, tocava violão e a mãe gostava de cantar.

Primeira apresentação

Desde cedo precisou trabalhar e, entre 1930 e 1935, foi balconista, funcionária de uma fábrica de saponáceos e cabeleireira, até que o talento foi descoberto aos dezesseis anos, quando comemorava o aniversário. Foi então convidada para um teste na Rádio Guanabara, pelo chorão Jacob do Bandolim.
Apesar da oposição inicial do pai, apresentou-se em 1936 no Programa Suburbano, ao lado de Vicente Celestino, Araci de Almeida, Moreira da Silva, Noel Rosa e Marília Batista. Na semana seguinte foi contratada para um programa semanal na rádio.
Casou-se no fim de 1939 com Ari Valdez, mas o casamento durou pouco. Trabalhou em boates como taxi-girl, atividade que exerceria por muito tempo.
Em 1941, tornou-se crooner de orquestras, chegando a ser uma das atrações do Dancing Avenida, que deixou em 1945, quando se mudou para São Paulo para cantar no Salão Verde e para apresentar-se na Rádio Cruzeiro do Sul, no programa Pescando Humoristas.

Compositora: Dolores Duran
video
ELIZETH CARDOSO - "A NOITE DO MEU BEM"

Compositores: Tom Jobim e Vinicius de Moraes
video
ELIZETH CARDOSO - "EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ" 

Estilo

Além do choro, Elizeth consagrou-se como uma das grandes intérpretes do gênero samba-canção (surgido na década de 1930), ao lado de Maysa, Nora Ney, Dalva de Oliveira, Ângela Maria e Dolores Duran. O gênero, comparado ao bolero, pela exaltação do tema amor-romântico ou pelo sofrimento de um amor não realizado, foi chamado também de dor-de-cotovelo ou fossa. O samba canção antecedeu o movimento da bossa nova (surgido ao final da década de 1950, 1957). Mas este último representou um refinamento e uma maior leveza nas melodias e interpretações em detrimento do drama e das melodias ressentidas, da dor-de-cotovelo e da melancolia.
Elizeth migrou do choro para o samba-canção e deste para a bossa nova gravando em 1958 o LP Canção do Amor Demais,[1] considerado axial para a inauguração deste movimento, surgido em 1957. O antológico LP trazia ainda, também da autoria de Vinícius de Moraes e Tom Jobim,  Chega de Saudade,  Luciana, As Praias Desertas e Outra Vez. A melodia ao fundo foi composta com a participação de um jovem baiano que tocava o violão de maneira original, inédita: o jovem João Gilberto.

Composição de: Tom Jobim e Vinícius de Moraes
video
ELIZETH CARDOSO - "CHEGA DE SAUDADE"

Anos 1960

Em 1960, gravou jingle para a campanha vice-presidencial de João Goulart.[2] Nos anos 1960 apresentou o programa de televisão Bossaudade (TV Record, Canal 7, São Paulo). Em 1968 apresentou-se num espetáculo que foi considerado o ápice da carreira, com Jacob do Bandolim, Época de Ouro e Zimbo Trio, no Teatro João Caetano, em benefício do Museu da Imagem e do Som (MIS) (Rio de Janeiro). Considerado um encontro histórico da música popular brasileira, no qual foram ovacionados pela platéia; long-plays (Lps) foram lançados em edição limitada pelo MIS. Em abril de 1965 conquistou o segundo lugar na estréia do I Festival de Música Popular Brasileira (TV Record) interpretando Valsa do amor que não vem (Baden Powell e Vinícius de Moraes); o primeiro lugar foi da novata Elis Regina, com Arrastão. Serviu também de influência para vários cantores que viriam depois, sendo uma das principais a cantora Maysa.

Compositores: Baden Powell e Vinícius de Moraes
video
BADEN POWELL E ELIZETE CARDOSO
Música:  "Apelo"

Compositor: João Nogueira
video
ELIZETH CARDOSO E JOÃO NOGUEIRA
Música: "Mulata Faceira"

Apelidos
Teve vários apelidos como A Noiva do Samba-Canção, Lady do Samba, Machado de Assis da Seresta, Mulata Maior, A Magnífica (apelido dado por Mister Eco) e a Enluarada (por Hermínio Bello de Carvalho). Nenhum desses títulos, porém, se iguala ao que foi consagrado por Haroldo Costa –- A Divina -- que a marcou para o público e para o meio artístico.
Elizeth Cardoso lançou mais de 40 LPs no Brasil e gravou vários outros em Portugal, Venezuela, Uruguai, Argentina e México.
Elizeth Cardoso morreu aos 69 anos, vítima de câncer.

Discografia

Álbuns de estúdio e compilações

  • (1955) Canções à Meia Luz
  • (1956) Fim de Noite
  • (1957) Noturno
  • (1958) Retrato da Noite
  • (1958) Canção do Amor Demais
  • (1958) Naturalmente
  • (1959) Magnífica
  • (1960) Sax Voz
  • (1960) A Meiga Elizeth
  • (1961) Sax Voz nº 2
  • (1962) A Meiga Elizeth nº 2
  • (1963) A Meiga Elizeth nº 3
  • (1963) Elizeth Interpreta Vinícius
  • (1963) A Meiga Elizeth nº 4
  • (1963) Elizeth Canta Seus Maiores Sucessos
  • (1963) Grandes Momentos com Elizeth Cardoso
  • (1964) A Meiga Elizeth nº 5
  • (1965) Quatrocentos anos de samba
  • (1965) Elizeth sobe o morro
  • (1966) Muito Elizeth
  • (1966) A bossa eterna de Elizeth e Cyro – Elizeth Cardoso e Cyro Monteiro
  • (1967) A enluarada Elizeth
  • (1968) Ao vivo no Teatro João Caetano - Elizeth Cardoso, Zimbo Trio e Jacob do Bandolim - Vol. I e II
  • (1968) Momento de Amor
  • (1969) Elizeth e Zimbo Trio na Sucata
  • (1970) Elizeth no Bola Preta com a Banda do Sodré
  • (1970) Falou e disse
  • (1970) É de manhã - Elizeth Cardoso e Zimbo Trio
  • (1970) Elizeth, a exclusiva
  • (1970) A bossa eterna de Elizeth e Ciro - Nº 2 - Elizeth Cardoso e Cyro Monteiro
  • (1971) Elizeth Cardoso
  • (1971) Elizeth Cardoso - Disco de ouro
  • (1971) Elizeth Cardoso e Silvio Caldas
  • (1971) Elizeth Cardoso e Silvio Caldas - Vol. II
  • (1972) Preciso Aprender A Ser Só  
Compositores: Tom Jobim e Vinícius de Moraes
video
ELIZETH CARDOSO - CANTA O SUCESSO
"Preciso aprender a ser só"

  • (1972) Elizeth Cardoso
  • (1974) Edição histórica - VOL. 3
  • (1974) Elizeth / Feito em Casa
  • (1974) Mulata Maior
  • (1975) Bossaudade - A bossa eterna
Compositores: Tom Jobim e Vinícius de Moraes
 video
ELIZETH CARDOSO - CANTA O SUCESSO
"Se todos fossem iguais a você"

  • (1975) Elizeth Cardoso
  • (1976) Elizeth Cardoso
  • (1977) Elizeth Cardoso, Jacob do Bandolim, Zimbo Trio e Época de Ouro
  • (1978) A Cantadeira do Amor
  • (1978) Live in Japan
  • (1979) O Inverno do meu Tempo
  • (1980) Elizeth Cardoso nº 1
  • (1980) Elizeth Cardoso nº 2
  • (1980) Elizeth Cardoso nº 3
  • (1981) Elizethíssima
  • (1982) Outra vez Elizeth
  • (1982) Recital
  • (1983) Elizeth - Uma rosa para Pixinguinha
  • (1984) Leva meu Samba - Elizeth Cardoso e Ataulfo Júnior
  • (1986) Luz e Esplendor
  • (1989) Elizeth Cardoso
  • (1989) Elizeth Cardoso - Jacob do Bandolim - Zimbo Trio e Conj. Época de Ouro
  • (1991) Todo Sentimento
  • (1991)  Ary Barroso .
    No vídeo abaixo: Elizeth Cardoso canta um pupurri "Recado" de Paulinho da Viola - "Sei lá Mangueira" de Hermínio Bello e Paulinho da Viola e "Foi um rio que passou na minha voda" de Paulinho da Viola. 
    
    Compositores: Hermínio Bello
    e Paulinho da Viola.
    video
    ELIZETH CARDOSO - 'RECADO" - 'SEI LÁ MANGUEIRA'
    E "FOI UM RIO QUE PASSOU EM MINHA VIDA"


Bibliografia

  • ALBIN, Ricardo Cravo. MPB - A História de um século. Rio de Janeiro: Funarte, 1998.
  • ALBIN, Ricardo Cravo. O livro de ouro da MPB - A História de nossa música popular de sua origem até hoje. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.
  • AZEVEDO, M. A. de (NIREZ) et al. Discografia brasileira em 78 rpm. Rio de Janeiro: Funarte, 1982.
  • CABRAL, Sérgio. Elisete Cardoso - Uma vida. Rio de Janeiro. Lumiar, 1994.
  • CARDOSO, Sylvio Tullio. Dicionário biográfico da música popular. Rio de Janeiro; Edição do autor, 1965.
  • EPAMINONDAS, Antônio. Brasil brasileirinho. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1982.
  • MARCONDES, Marcos Antônio. (ED). Enciclopédia da Música popular brasileira: erudita, folclórica e popular. 2. ed. São Paulo: Art Editora/Publifolha, 1999.
  • PAVAN, Alexandre. Timoneiro, perfil biográfico de Hermínio Bello de Carvalho. Ed. Casa da Palavra. [1]
  • SEVERIANO, Jairo e MELLO, Zuza Homem de. A canção no tempo. Vol 1. São Paulo: Editora 34, 1997.
  • VASCONCELOS, Ary. Panorama da música popular brasileira. Rio de Janeiro: Martins, 1965.

Notas e referências

  1. Capa do Lp e comentário
  2. [http://veja.abril.com.br/blog/caca-ao-voto/tag/udn/ " Dos sonhos de JK às vassouras de Jânio"]. Veja. 2 de setembro de 2010.

Ver também

Ligações externas